domingo, 13 de Abril de 2014

Arqueologia do Direito - World Archaeology 45/5

WORLD ARCHAEOLOGY 45, 5
   
The Archaeology of Legal Culture


Articles

Introduction: the archaeology of legal culture   pp. 687-698
Kevin P. Smith & Andrew Reynolds

Judicial culture and social complexity: a general model from Anglo-Saxon England  pp. 699-713
Andrew Reynolds

Beyond hierarchy: the archaeology of collective governance  
 pp. 714-729
Susan Oosthuizen

Thorir’s bargain: gender, vaðmál and the law  pp. 730-746
Michèle Hayeur Smith

Outside the gate: sub-urban legal practices in early medieval 
England   pp. 747-761
John Baker & Stuart Brookes

Places of justice and awe: the topography of gibbets and gallows in medieval and early modern north-western and Central Europe   
pp. 762-779
Joris Coolen

Vampires, criminals or slaves? Reinterpreting ‘deviant burials’ in early medieval Poland  pp. 780-796
Leszek Gardeła & Kamil Kajkowski

Legislation, ideology and personal agency in the Western Australian penal colony   pp. 797-815
Sean Winter

The archaeology of the mafia: a material investigation of extortion, justice and reprisal in Palermo, Sicily (1982–2012)  pp. 816-831
Gianna Ayala & Matthew Fitzjohn


Ir ao numero da revista: World Archaeology

sexta-feira, 4 de Abril de 2014

A Idade do Bronze em Portugal


A Idade do Bronze em Portugal
Os dados e os Problemas

Quando: 28-29 Abril
Onde: Abrantes


Entre o II milénio e os inícios do I milénio a.C., à luz dos factos arqueológicos, assistimos, no território hoje português, a uma ligação não-esporádica com as populações dos territórios da Europa. Essas ligações passam estruturalmente por “mecanismos de interacção social e política” (Jorge, 1995: 16) que, no período correspondente à Idade do Bronze Final, se imbricam em formas de poder que dão lugar a uma ruptura relativamente à estrutura anterior.



A experiência, a nível micro-regional que possuímos no Médio Tejo, transporta-nos para os ambientes fúnebres e para a nova modalidade de tratar a morte que, sem dúvida, constitui uma ruptura de mentalidades relativamente aos procedimentos funerários do Bronze Inicial/Médio. Por outro lado, a nível de povoamento assiste-se a um nascimento repentino de recintos de altura no Bronze Final, nomeadamente em zonas estratégicas como áreas de controlo do rio Tejo e do minério de ouro. Mas outras rupturas surgiram no plano dos sítios de habitação ou na emergência das estelas.



Em 1995, foi realizado um esforço de síntese nacional patente no catálogo da exposição “A Idade do Bronze: A Primeira Idade do Ouro da Europa”. Nos dias 28 e 29 de Abril de 2014, com a Mesa Redonda A Idade do Bronze em Portugal: os dados e os problemas preten-se proceder uma actualização de paradigmas através dos trabalhos realizados de então para cá.



Pretende-se discutir fundamentalmente, em cada região abordada, os critérios de periodização (continuidade e descontinuidade cultural) tendo sobretudo como base a dinâmica das materialidades. Dar-se-á particular ênfase, no quadro das materialidades, aos contextos arquitectónicos, enquanto espaços de acção social e negociação de poder.



Para tal contara-se com a participação de todos os investigadores que se dedicam a este período da Pré-História recente portuguesa.


 Programa



+INFO no site de: Ins. Polit. de Tomar

Vaso Castrejo - Documentário



Aproveitamos para deixar aqui este interessante documentário intitulado Vaso Castrejo dirigido pelo realizador Carlos Eduardo Viana e disponibilizado no portal Lugar do Real. Nele se faz acompanhamento visual do registo da escavação de um vaso castrejo realizada pelo Grupo de Estudos Históricos do Vale do Neiva.


O Documentário conta com a direção científica do Professor Armando Coelho Ferreira da Silva (Universidade do Porto) e Tarcísio Daniel Pinheiro Maciel (Grupo de Estudos Históricos do Vale do Neiva)


quinta-feira, 3 de Abril de 2014

Banquete e Ritual na Islandia - Livro

FOOD, BLOOD & LITTLE WHITE STONES

Jónsson, J.O., Food, blood and little white stones: A study of ritual in the Icelandic Viking Age hall. University of Iceland, 2014


Sinopse
O estudo das crenças e rituais antigos é uma problematica muito complexa que tem incomodado os estudiosos ao longo dos séculos. As pessoas ao longo do tempo têm-se surprendido das religiões, crenças e tradições de outros povos. Os estudiosos, já no tempo de Tácito e o Império Romano, descreveram as práticas religiosas e rituais de culturas estrangeiras.


No entanto, tais relatos tendem ser deformados pelo própria abscripção religiosa do escritor, o clima político da época e forma em que os textos sobreviver e se trasmitem. Problemas semelhantes dam-se com os relatos orais. A vantagem de arqueologia, neste caso, é, para usar as palavras de Ann-Britt Falk "que analisa o que as pessoas realmente fazem, não o que eles se supoe que fazem"


O objetivo desta tese é de olhar para a arqueologia da casa de banquetes islandesa de epoca vikinga e definir os signos de ritual teorizado a partir da combinação dos materiais folclórico, etnográfico, arqueológico e histórico. O objetivo do autor é que através do uso destas fontes, seja possível a identificaçao de rituais pagãos no registro arqueológico da Islândia.


 INDEX



Descarregar a tese aqui: Food, blood and little white stones

Rituais e Anais - Livro


Rituals and Annals

Valeri, V., Rituals and annals: Between anthropology and history. HAU Classics of Ethnographic Theory Series Vol 2, 2014  ISSN: 2051-087X


Sinopse
Nesta coleção póstuma de ensaios de Valerio Valeri, editado por Rupert Stasch (em colaboração com Sean M. Dowdy e Giovanni da Col), HAU traz para você um conjunto magistral de obras de uma das maiores mentes da antropologia dos últimos anos.


Ricamente comparativa, enquanto mostrava algumas das melhores aportações de Valeri à história e etnografia da Polinésia, este volume é uma exemplo magistral de teoria etnográfica. Entre as obras traduzidas no volume desde o francês e italiano, também se inclui aqui, por primeira vez, as entradas de Valeri escritas para a Enciclopédia Einaudi italiana (editado por Umberto Eco).


um recurso inestimável para estudantes e professores, que brilhantemente envolve algum de temas mais clássicos da antropologia (realeza, ritos, o banquete e a festa, o fetiche, as crenças e o culto, o luto, o cerimonial, ou a cosmogonias da ordem). O volume completa-se com uma introdução do editor, Rupert Stasch, e um prefácio de Marshall Sahlins


 INDEX



Descarregar o livro no site de:  HAU

quarta-feira, 2 de Abril de 2014

Morreu Jacques Le Goff



Ontem 1 de Abril morreu aos 90 anos de idade Jacques Le Goff, um dos mais importantes medievalistas do século XX. O historiador francês pertencia à terceira geração de historiadores da escola de Annales. A sua conceção da historia medieval concebida como uma antropologia histórica centrada no interesse pela história da cultura e das mentalidades, marcou a varias gerações de medievalistas e historiadores em geral.


Livros como O Nascimento do Purgatório, A Civilização do Ocidente Medieval, ou A Bolsa ou a Vida, têm-se convertido e clássicos nos que os leitores de Le Goff topámos uma visão da historia profundamente interdisciplinar e sem complexos disciplináreis, que o levaram mesmo a repensar os limites e periodizações convencionais da Idade Media, assim como a integrar os dados e aportações da antropologia, sociologia etc, no estudo dos textos históricos criando uma autentica antropologias histórica


Grande divulgador, em 1968 no empeçou a colaborar no programa radiofónico Les Lundis de l’Histoire, que ainda hoje é emitido pela France Culture, e no qual Le Goff pariticipou até ao final da sua vida. Com a morte de Jacques Le Goff perde-se um dos grandes historiadores do passado século.

Deixamo-vos aqui o audio do programa especial do programa de France Culture La Grande Table emitido hoje em Homenagem ao medievalista e que contou coa intervenção dos historiadores Patrick Boucheron e Jean-Claude Schmitt (colaborador e sucessor do proprio Le Goff)



A Hispânia de Augusto - Congresso


La Hispania de Augusto
Congreso Internacional

Quando: 7-9 Abril
Onde: Madrid


Nos dias 7, 8 e 9 de abril celebra-se o Congresso Internacional A Hispânia de Augusto, no Salão de Atos e Graus da Faculdade de Geografia e História da Universidade Complutense de Madrid. Organizado pelo Departamento de História Antiga da UCM


 Programa



terça-feira, 1 de Abril de 2014

Identidades no Ocidente Antigo - Palestras


Encuentros, transformaciones, Construcciones
En torno a las identidades del Occidente antiguo

Quando: 2-24 Abril
Onde:  Madrid


Ao longo do mês de abril decorrera na Faculdade de Filosofia e Letras da UAM o II Seminário de Estudos sobre o Occidente Antigo (SEOA) dedicado ao tema: Encontros, transformações, construções: em torno das identidades do Occidente antigo.


As últimas décadas viram emergir num processo de renovação profundo e heterogéneo na investigação sobre o mundo antigo, nutrido por perspetivas críticas diversas, refrescadas pela inovação científica e a hermenêutica pós-colonial. Deste estimulante panorama surge o SEOA, como um foro de reflexão sobre a análise das sociedades do Ocidente antigo e a a sua interação com as potências mediterrâneas.


Esta edição se focaliza em um dos âmbitos mais férteis dessas novas tendências as identidades e o seu mecanismo de conformação, mudança e perceção. Uma temática abordável desde quatro eixos que centrarão as respetivas sessões: relações entre colonização e identidade; envolvimentos das identitárias da guerra; aproximações 


teórico-metodológicas à etnicidade; e receção essencialista da Antiguidade. Abarcam-se assim as linhas fundamentais que estão a definir a investigação atual contribuindo uma visão global e interligada do problema.


 Programa



+INFO no site do grupo de pesquisa:  Occidens

segunda-feira, 31 de Março de 2014

Living places, experienced places - Colóquio


Living places, experienced places
The Northwestern Iberia in Prehistory

Quando: 2-3 Maio
Onde: Braga


O Departamento de História da Universidade do Minho; Centro de Investigação Transdisciplinar Cultura, Espaço e Memória – CITCEM/UM; Associação Portuguesa para o Estudo do Quaternário – APEQ, organizam o terceiro Colóquio Enardas que leva por titulo Living places, experienced places. The Northwestern Iberia in Prehistory


Este colóquio tem como objetivo contribuir para aumentar os conhecimentos da Pré-história do Noroeste da Ibéria no contexto da Península Ibérica e de outras regiões periféricas. Os temas preferenciais de discussão organizam-se em torno de três sessões: Pedras e lugares gravados; Contextos e práticas funerárias; Depósitos e lugares de deposição, sendo desejável comunicações que tratem estes temas pensados na sua relação com o espaço e de forma holística.


Privilegiaremos, igualmente, as comunicações em que estes temas sejam abordados na perspetiva de que o Noroeste é um lugar de encruzilhada e de encontro entre tradições atlânticas e mediterrânicas.


Esta aberto o prazo para a presentação de comunicações as 3 sessões das que constara o colóquio coordenadas respetivamente por: 1) Engraved stones and places (Manuel Santos Estevez) 2) Burial contexts and pratices (Ana M. S. Bettencourt), 3) Hoards and depositions (Beatriz Comendador Rey), também haverá uma sessão de pósteres


+INFO no site do projetoENARDAS

sábado, 29 de Março de 2014

Vivindo com os Mortos - Palestra


Living with the Dead

Quando: 2 Abril
Onde:  Gambelas


O Núcleo de Arqueologia e Paleoecologia da Universidade do Algarve vem anunciar mais uma conferência do ciclo de palestras Arqueologia ao Sul, desta vez por Karina Croucher, com o tema Living with the dead: Mortuary practices from the Neolithic Near East, que se realizará no dia 2 de Abril de 2014 pelas 17:30 horas


Resumo
Esta presentação discute a evidência mortuária do Neolítico no Oriente Próximo (sudoeste da Ásia), um período crucial para o desenvolvimento da civilização, se consideramos a introdução da agricultura e das primeiras cidades sedentárias. Houve neste período várias formas de tratar os mortos, incluindo a fragmentação do corpo humano e a reutilização de partes do corpo, especialmente o crânio.


Entre estas práticas se incluiu o reboco dos crânios dos mortos, no que os rostos dos mortos foram recriados sobre seus crânios usando cal, barro e gesso. Esta palestra discute as interpretações recentes deste enigmático fenómeno, que incluem as conexões entre vivos e os mortos, e o papel tangível dos defuntos na vida dos vivos.


sexta-feira, 28 de Março de 2014

Dos Montes, das Pedras e das Águas - Livro


Dos Montes, das Pedras e das Águas

Bettencourt, A.M.S. & Alvers, L.B.,. Dos Montes, das Pedras e das Águas. Formas de interacção com o espaço natural da pré-história à actualidade. Braga: CITCEM/APEQ. Braga, 2009 206pp.

Sinopse
Dos montes, das pedras e das águas. Formas de interacção com o espaço natural da pré- -história à actualidade é um livro que resulta de três vontades: a de pôr um grupo de investigadores das áreas da arqueologia, da antropologia e das ciências da terra a pensar no modo como as comunidades tradicionais interagiram com o espaço; a de 


re-flectirmos sobre as ferramentas metodológicas existentes para interpretarmos a forma como essa percepção se operou e a de dar voz a algumas comunicações apresentadas no âmbito da sessão A Arqueologia dos Espaços Naturais, realizada no âmbito o IV Congresso Nacional de Geomorfologia, em 16 de Outubro de 2008, em Braga


O conjunto de 10 artigos aqui publicados onde participam arqueólogos, antropó-logos e geólogos espelham e abordam estas problemáticas, numa diversidade meto-dológica e temática e numa transversalidade cronológica, enriquecedora e pertinente para quem procura corredores de diálogo para interpretar a História


 INDEX



Descarregar o livro em: Academia.edu

quinta-feira, 27 de Março de 2014

Rathcroghan Conference 2014

Archaeology Above & Below

Quando: 4-6 Abril
Onde: Tulsk (Irlanda)


O Rathcroghan Visitor Centre hospedara um ano mais o seu congresso arqueológico anual que se celebrara entre os dias 4-6 de abril, no arredor do antigo complexo real de Cruachain. O fim deste Congresso é divulgar entre a gente do centro e oeste de Irlanda este paisagem arqueológico e natural único e criar um fórum de discussão sobre a (proto-)história deste assentamento


Desde há três anos, a Rathcroghan Conference têm procurado inspirar a interesse pelas disciplinas da história e arqueologia, uma curiosidade sobre desconhecido, e uma vontade de descobrir as lacunas que aparecem no conhecimento do passado. 


A cada ano, fornece-se um tema diferente a partir do qual os diversos ponentes pranteiam o seu discurso, de modo que constantemente se este há reavaliar e questionar o que se considera sabido com novas ideias e perspetivas. 


Este ano o titulo que foca o congresso e Archaeology Above & Below e discutira sobre as novas pesquisas que desde as chamadas técnicas de deteção remota se têm feito nos últimos anos por parte da arqueologia da paisagem na Irlanda e as Ilhas Britânicas em geral, e em Rathcroghan em particular.


 Programa



+INFO no site da: Rathcroghan Conference

VELEIA Nº 30


VELEIA Nº 30, 2013


INDEX



Ir ao site da revista: Veleia

quarta-feira, 26 de Março de 2014

O Mundo ao Revês - Exposição


Le Monde à L´Envers

Quando: 26 Março - 4 Agosto
Onde: Marselha


Hoje dia 26 de Março inaugura-se a exposição Le Monde à l’Envers - Carnavals et Mascarades d´Europe et Méditerranée organizada pelo Musée des Civilisations de l´Europe et de laMéditerranée (MuCEM) situado na cidade de Marselha (França).


Há muitas maneiras de olhar para uma exposição sobre o entrudo, sinaladamente ao redor da máscara, o disfarce, a loucura coletiva, oferecendo uma descrição histórica e tipológica das diferentes partes ou uma abordagem mais técnica focada sobre a artesoaria e em como é desenvolvida pela mascarados, em quanto indivíduos que dão livre curso à sua imaginação na confeição dos seus trajes e mascaras.


A exposição "O Mundo ao revés" convida a uma viagem pelo imaginário carnavalesco. O percurso comporta momentos de poderosa imersão de reflexão sobre o que este festival nos ensina sobre nós mesmos e as sociedades contemporâneas. Uma das principais razões para o renascimento atual dos carnavais e mascaradas é o fascínio num público que busca o sentido e autenticidade, o caráter arcaico da festa de carnaval.


As Mascaradas rurais e os Entrudos ditos "tradicional" ou "históricos"​​ renascem, às vezes contando com os escritos de antropólogos ou folcloristas do final do século XIX. Atores e espetadores evocar a necessidade de perpetuar uma comunidade "ancestral" e o seu próprio ritual, mesmo se ele é em grande parte reinventado.


Pelo que toca a parte galega desta exposição os nossos amigos da Sociedade Antropológica Galega (SAGA) têm aportado parte dos fundos visuais das suas pesquisas sobre este tema entre os que figura a imagem do próprio cartaz da mostra.



 Esta exposição temporal vai estar aberta desde o 26 de março até o 4 de agosto de 2014


+INFO no site do:  MUCEM

Os Hipogeus de Aljezur - Palestra


Os hipogeus de Aljezur

Quando: 28 Março
Onde: Gambelas


O Núcleo de Arqueologia e Paleoecologia da Universidade do Algarve vem anunciar mais uma conferência do ciclo de palestras Arqueologia ao Sul, desta vez por Elisabete Barradas, com o tema Os hipogeus de Aljezur: velhos dados e novas descobertas, que se realizará no dia 28 de Março de 2014 pelas 16:00 horas

Resumo
No último quartel do século XIX, foi identificado e escavado por Estácio da Veiga, junto à Igreja de N. Srª de Alva, em Aljezur, um monumento funerário coletivo, por ele designado como Estação-tumulus de Aljezur. Neste sepulcro surgiram restos osteológicos pertencentes a pelo menos 30 indivíduos e recolheu-se um espólio rico e diversificado, compatível com cronologias do Neolítico final/Calcolítico inicial, destacando-se um importante conjunto de placas de xisto, para além de outros artefactos usuais neste tipo de contextos funerários.


O monumento, hoje muito provavelmente destruído, seria uma gruta artificial escavada na rocha, com uma planta irregular, sem paralelos no território português, formada por seis hemiciclos dispostos em planos escalonados, segundo as descrições e desenhos apresentadas pelo autor nas Antiguidades Monumentais do Algarve.


As escavações realizadas em 2011 e 2013 no Sítio da Barrada, no âmbito de um projeto de investigação plurianual dirigido por Silvina Silvério, Elisabete Barradas e Maria João Dias da Silva, permitiram descobrir dois hipogeus, relativamente próximos do local onde terá existido o referido sepulcro. O hipogeu I da Barrada, cuja escavação está quase concluída, encontrava-se selado pelo abatimento da cúpula e tem revelado um grande potencial científico.


Pretende-se nesta comunicação, com base nas informações antigas e nos dados das escavações recentes, caracterizar os hipogeus de Aljezur e aprofundar algumas questões relacionadas com as práticas funerárias destas comunidades que depositaram aqui os seu mortos nos finais do 4º e inícios do 3º milénio a.C.